Desde que você se foi

A porta não fechou sozinha. E desde o dia que você passou por ela, tudo mudou por aqui. Nem de longe, eu entenderia seus motivos, suas razões... O egoísmo tomou conta de mim por não querer que você vá, e, também de você, que partiu sem ao menos pensar como seria a minha reação.

Doeu. E dói. Arde. Tende a melhorar? Talvez um dia. Hoje eu sei que não há melhora. Não há sinais de que eu possa ter forças para acordar amanhã e ainda assim, não te ver. Talvez eu acorde sempre assim daqui pra frente. Sozinho.

Desde que você se foi, eu não abro mais a porta da sacada. Não fico satisfeito em contemplar a paisagem sozinho. Tenho utilizado a escada do prédio, que até então, não sabia que eu poderia ter paz em um local como lá. Eu tenho pavor do bom dia forçado dentro do elevador, você sabe disso. Só não afirmo que os dias estão mais escuros porque o calor e sol por aqui estão em demasia.

Desde que você se foi a risada é vazia. O cobertor perdeu o perfume. O banheiro está sem a toalha improvisada para você. O Bob late, late... "Cadê aquela moça?", ele deve se indagar... Nós dois estamos sentindo uma forte presença. Uma presença da amizade canina, que me tira algumas risadas. Logo após, entristeço. Com aquele mesmo turbilhão de sentimentos ruins.

Desde que você se foi, eu fui também. Vou aos poucos. Me sinto só. Seja esperando uma mensagem ou olhando nossas fotos. Bebendo meu café ou tomando aquele nosso vinho. Cozinhando sozinho ou cantando nossa canção preferida no chuveiro. Amando irrevogavelmente ou te odiando por ter partido sem motivos...

Desde que você se foi eu tento entender todos os dias que eu não posso segurar ninguém por aqui. Eu sou pouco para você e suficiente pra mim. Ainda não entendi que a solidão é para ser vivida, sofrida, sentida. Sentido? Eu só não afirmo que minha vida não tem sentido, porque eu sinto... e porque eu senti você. Se isso não faz sentido, o que eu senti, antes não tivesse sentido. Bom, desde que você se foi...

Tecnologia do Blogger.